domingo, 29 de maio de 2016

Departamento Médico

Boa Amigos!

Já tem algumas semanas que sofri uma queda durante um treino técnico. Treino esse realizado em curta distância mas com alto grau de dificuldade, como subidas com raízes, descidas rápidas com valas e saltos, é praticamente um parque de diversão para quem curte um MTB bem travado.

O resultado dessa queda foi sentido com maior intensidade dias depois. Dores na cervical e irradiação pelo braço e mão direita. Nem no rolo conseguia girar devido a posição que ficou insuportavelmente incomoda.

Como já imaginava, o mesmo problema que me tirou das artes marcias voltava a me assombrar. Compressão da cervical entre C3-C7, d ava suas caras também no ciclismo, justo este ano que tudo fluía tão bem. Seja pela minha recuperação cirurgica, pelo treinamento dentro dos limites aceitáveis e pelos resultados obtidos.

Bom, o médico sacramentou que deveria iniciar o tratamento imediatamente e se possível parar de andar de bicicleta... Mas, e minhas pedaladas com a turma? Minhas corridas?? Minha viagem???

Iniciei o tratamento com a medicação, que nada aliviou a dor, e em casa mesmo dei início ao tratamento manual em casa com auto-massagem e infusões. Mas casa de ferreiro espeto de pau, não adianta saber fisioterapia para realizar atividades em você mesmo.
Voltei ao médico já com as dores amenizadas e peguei a prescrição da fisioterapia.

Estou na segunda semana de fisio e ainda sinto incômodo por conta da postura na bike.
Realizei uma corrida que me deixou muito mal e senti muitas dores, o que me fez desistir das duas corridas seguintes.

Ainda estou de molho, sem ir pra trilha mas girando um pouco no rolo apenas para testar a evolução da recuperação.

Tenho vontade de correr dia 12 de junho sem muito sofrimento como na última prova que participei. Mas só saberei da minha real condição nas próximas semanas.

Até.

Um comentário:

  1. melhoras ai cara, sei bem o que é isso. Tive que ficar 3 anos parado.

    ResponderExcluir