quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Pedal de 20 de Janeiro - Niterói x Arraial do Cabo

Com a família em Arraial do Cabo, logo me veio à cabeça de fazer esse roteiro de bike. 

Estrategicamente,  deixei o carro em Arraial e voltei no domingo (anterior) de carona. Passei a semana toda só pensando em qual caminho seria melhor de fazer, várias pessoas tentando uma possibilidade de me acompanhar e na noite anterior, resolvi preparar as coias para não perder tempo no dia seguinte, 20 de Janeiro (feriado no RJ), pois pensava em sair por volta de 5h da manhã e assim evitar o forte calor que prometia ser aquele dia.

Acordei por volta de 4h ao som do despertador, que dessa vez me despertava pra fazer o que mais 'curto' pedalar no estilo longa distância. Levantei preparei o café, liguei a tv e comecei a assistir o Tour de France 21011, apenas pra ir entrando no clima. Tomei um banho, depois o reforçado café e estava um clima tão agradável que dei uma piscada de uma hora e quando percebi o que estava fazendo, o dia já estava claro (6h da manhã)... Passei a mão no protetor que a Alessandra havia me fornecido no passeio de Tinguá, e besuntei o rosto e com o que sobrou, os braços.

Enfim, as 7h saia de casa.
Pronto pra sair de casa



O visual rural que temos depois das entradas de Maricá servem como um bom motivo para ir mais além, belas paisagens, mas sem digital não quis ficar parando para fotografar com o celular além das placas.


Seguindo viagem...

"passei de passagem..." No posto que planejava para abastecimento, mas como ainda tinha bastante água, tinha tomado um café reforçado e ainda levava bastante glicogel, não vi necessidade de parra ali também!

Essa placa era a tão esperada, pois nunca passara além daqui (sentido Jaconé). Nesse trecho, em um determinado momento tive a opção de seguir pelo asfalto, que me daria uma oportunidade de manter a média alta, ou  seguir pela orla, estrada de chão e sempre olhando a praia.

Fiz a escolha que seria melhor para os olhos e mente, porém foi muito desgastante: areia fofa + vento contra = baixíssima média e cansaço precoce por conta do esforço extra. 



Mas vamos-que-vamos!

Desliguei do tempo e velocidade e admirei o visual, o que ajudou a reduzir o arrependimento da escolha que havia feito.
A empolgação voltou e mesmo a 10km/h, como se subisse a rua Alice com a mesma intensidade de esforço e sem inclinação. 

E cheguei até esse caldo de cana... Parei, Claro! (2 caldos e 1 Coco)


Do caldo de  cana mais 4km à frente, alcancei o asfalto na esperança que melhoraria...Putz! Subia um vapor  do asfalto que parecia que ia cozinhar, e sentia essa sensação por conta da baixa velocidade.



Enfim Saquarema! 

12h, maçarico ligado, só pensava em encontrar um lugar para comer e descansar pelo menos até o sol dar uma trégua, uma vez que não me importava mais em chegar 'tal' hora, afinal tirei o dia para pedalar então sem paranoia!

Rodei a cidade e não encontrei nada que me agradasse e decidi continuar até chegar na subida (curta e mortal) que faceia a Lagoa de Saquarema... Felizmente, debaixo de fortes e saudáveis amendoeiras, havia um quiosque onde parei comi e dormi (sim) até as 15h.

Apesar da hora avançada, o dia era de praia! Um calor infernal e segui pedal passando por Bacaxá, Vilatur e cheguei até a estrada de Praia Seca.

Pedal vai, rajada de vento vem e comecei a fadigar, parando muito isso porque me impunha a pelo menos parar a cada 5km, senão seria a cada 500m. O vento era o inimigo a ser vencido. Rajadas frontal e lateral quase paravam a bike e quando cheguei em Monte Alto parei para uma coca cola gelada e um merecido descanso... Câimbras me pegaram pelas pernas e parecia que todas as fibras das pernas sofriam do mesmo problema, qualquer direção que tentava alongar piorava a câimbra  do músculo contrário.

Duas horas de descanso, com pernas doloridas, resolvi seguir viagem e adentrei o lugar que acho mais bonita de toda a viagem, o sol se pondo foi praticamente um presente de Deus estar ali naquele momento. Incrível que por um longo tempo, não passou um carro sequer o que me favoreceu para admirar o que pareciam ser andorinas revoando. 



Entre uma curva e outra, cheguei na reta que me levaria até o portal


Cheguei em casa, todos se preparavam para dar uma volta... tomei um banho, comi bastante e bebi algumas cervejinhas respondendo as perguntas de amigos que esperavam por um telefonema para ajuda... felizmente não foi necessário.


No dia seguinte, sol! Vamos fazer snorkeling o dia inteiro (descanso ativo)



Mais um pedal realizado!

Veja o trajeto aqui

9h de pedal efetivo
144 km
15km de média (apesar do vento)
148 bpm FC média 

4 comentários:

  1. Como são as estradas? É uma viagem mt perigosa?

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo, oque vc levou neste pedal e qual a sua bike?

    ResponderExcluir
  3. o que vc levou para este pedal? quais ferramentas? comida? vc foi sozinho? qual sua bike?

    ResponderExcluir